Categoria

Consumo Consciente

Categoria

A poluição plástica é um assunto recorrente nos jornais e demais sites de notícias. A todo momento surgem informações sobre empresas, cidades e até mesmo países que estão investindo em soluções práticas para diminuir o consumo de plástico no mundo. Mas, enquanto estas ações macro são estudadas e planejadas, é muito importante que cada indivíduo reflita sobre suas ações e pense em formas de fazer a diferença. Para começar, que tal repensar o uso do plástico de utilização única? Segundo um estudo realizado pela Race for Water, uma instituição suíça voltada para a preservação da água, todos os anos são produzidos 250 milhões de toneladas de plástico e, deste total, cerca de 35% do plástico descartado foi usado uma única vez por apenas 20 minutos. Pense nos canudos que você costuma utilizar nos refrigerantes, sucos e demais bebidas… E o copo plástico, que mata a sede e depois vai direto…

Surfistas são eternos apaixonados por mares e oceanos. Em busca da onda perfeita, eles costumam deslizar sobre as águas fazendo manobras corajosas. Com a contínua movimentação dos mares, muitos resíduos acabam chegando às praias e, com isso, desviar do lixo torna-se um desafio a mais. Por terem contato direto com a natureza, os praticantes de surfe conhecem bem os males que a poluição traz para o meio ambiente. Mas, além de adotar práticas mais sustentáveis no dia a dia, será que os surfistas poderiam utilizar produtos que causem menos impacto? A Green Minds é uma loja on-line brasileira de produtos para surfe que surgiu com a proposta de oferecer opções sustentáveis para quem curte boas ondas. Entre os produtos comercializados, estão camisas feitas com algodão orgânico ou a partir de garrafas PET, pranchas de diferentes tipos e formatos, confeccionadas com madeira ou cortiça, e alguns acessórios, como parafina ecológica, chave…

A cidade de Amsterdã é mundialmente conhecida por duas peculiaridades: a excelente infraestrutura para os ciclistas e seus lindos canais. Com mais de 100 quilômetros de extensão, os canais de Amsterdã são o grande chamariz da cidade e atraem turistas do mundo todo. As águas que cruzam a cidade funcionam como avenidas e são apreciadas pelos visitantes que buscam conhecer a região de uma ponta à outra. Apesar de encantadores, os canais, como grande parte dos rios e mares, também sofrem com a poluição. Decidido a fazer a diferença neste cantinho do planeta, o holandês Marius Smit fundou a Plastic Whale, a primeira empresa profissional de pesca plástica do mundo. Inicialmente, a ideia de Smit era construir um barco a partir dos resíduos retirados dos canais de Amsterdã. Hoje, após sete anos da fundação – e muito lixo recolhido –, a empresa já possui uma frota de nove barcos feitos…

A irrigação é responsável pela maior parte do consumo hídrico nacional, já que uma das principais atividades econômicas do Brasil é a agricultura. Segundo a Agência Nacional das Águas (ANA), foram captados 969 mil litros de água por segundo para esse fim em 2016, o que significa 67,2% de todo o consumo no território nacional. O número representa quase o dobro do consumo do segundo colocado da lista, o abastecimento urbano, que exigiu cerca de 488,3 mil litros por segundo no mesmo ano. Olhar para os grandes números do consumo de água do setor agrícola pode ser desmotivador para o consumidor. Frente a um consumo tão gigantesco, será que nós, como indivíduos, somos capazes de fazer alguma diferença? Nesse sentido, é importante perceber que o esforço para produzir produtos fora da estação só existe porque há demanda dos consumidores. Isso significa que os gastos de recursos hídricos para a irrigação…

No dia 1º de agosto, a humanidade terminou com o estoque de recursos naturais para o ano inteiro, de acordo com a Global Footprint Network, uma organização internacional de pesquisa. Essa data é chamada Dia da Sobrecarga da Terra – o momento em que a demanda anual da humanidade em relação à natureza ultrapassa a capacidade de renovação dos ecossistemas terrestres naquele ano. Em outras palavras, a humanidade está utilizando a natureza de forma 1,7 vez mais rápida do que os ecossistemas do nosso planeta podem se regenerar. Isso é como se usássemos 1,7 planeta Terra. A Global Footprint Network calcula o Dia da Sobrecarga da Terra todos os anos usando o cálculo de Pegada Ecológica, que inclui todas as diferentes demandas sobre a natureza, como a de alimentos, madeira e fibras (algodão); absorção de emissões de carbono da queima de combustíveis fósseis; além de construções, estradas e demais infraestruturas.…

Em sua quinta edição, a pesquisa realizada pelo Instituto Akatu investigou a evolução do grau de consciência dos brasileiros no comportamento de consumo, além de indicar os principais desafios, motivações e barreiras à prática do consumo consciente. Foram entrevistadas 1.090 pessoas, homens e mulheres, com mais de 16 anos, de todas as classes sociais e de 12 capitais e/ou regiões metropolitanas de todo o País, entre 9 de março e 2 de abril deste ano. Segundo a pesquisa, houve um crescimento significativo no segmento do consumidor “iniciante”, de 32%, em 2012, para 38%, em 2018 – o que mostra que o momento é de recrutamento dos consumidores indiferentes para hábitos mais sustentáveis de consumo. A pesquisa aponta que são 76% os menos conscientes (“indiferentes” e “iniciantes”) em relação ao consumo e que o maior nível de consciência tem viés de idade, de qualificação social e educacional: 24% dos mais conscientes…

Aderir a uma dieta balanceada, repleta de frutas e legumes, é a escolha certa para quem deseja melhorar a saúde. Mas, para que cresçam, amadureçam e estejam prontas para o consumo, as frutas precisam ser irrigadas de forma correta, de modo a receberem a quantidade de água adequada para seu desenvolvimento. O que muita gente não sabe é que consumir as frutas da estação ajuda a economizar água, isto porque as frutas da época estão acostumadas com as condições climáticas da temporada e, na maioria das vezes, não necessitam de irrigação extra para crescerem. Ao pensar na quantidade de água que é consumida para a produção das frutas, é preciso considerar não só a quantidade de água que o fruto carrega no momento em que você o saboreia, mas também em todos os litros que foram necessários durante o cultivo desse alimento. O resultado dessa conta vai depender muito do…

Uma empresa sueca desenvolveu uma luminária capaz de revolucionar a forma como construímos e vivemos hoje. A tecnologia da Solros (girassol, em sueco) permite trazer a luz do sol de fora da casa para qualquer ambiente interno, utilizando como conexão apenas um cabo de fibra óptica. O sistema pode iluminar naturalmente ambientes escuros com ou sem janela. A luz natural comprovadamente faz bem para nossa saúde. Ela é capaz de regular diversos processos fisiológicos de nosso metabolismo, como o sono e a digestão, através da liberação de hormônios. Por isso é indispensável que as pessoas tenham acesso a janelas e à luz natural, tanto em casa como no trabalho. Esta, porém, não é a realidade da maioria das pessoas que moram e trabalham em grandes centros urbanos. Leia mais: Energia solar cresce no Brasil Para conseguir buscar a luz do sol, a Solros criou um sistema que funciona em três etapas:…

A saúde bucal reflete diretamente na saúde geral, por isso é muito importante escovar os dentes de forma adequada, a fim de manter a região higienizada. Para isso, é fundamental o uso de escovas de dente que, segundo os dentistas, devem ser trocadas a cada três meses. Mas você já parou para pensar de que são feitas as escovas? Pois é, de plástico, aquele grande vilão para o meio ambiente… Mas, se o uso de escovas parece indispensável, como cuidar da saúde bucal e ainda preservar o meio ambiente? Simples: utilize uma escova de dente sustentável! 🙂 Muita gente não sabe, mas as escovas de dente podem ser recicladas! O plástico usado na produção do cabo e as cerdas de nylon podem ser encaminhados para a reciclagem, embora não seja tão fácil encontrar pontos de recolhimento desses materiais. Mas não desanime! Existem postos de coleta em várias cidades. Basta uma…

Quantas vezes você já foi ao supermercado ou hortifrúti e, na hora de escolher frutas, verduras e legumes, optou por aqueles mais bonitos e com boa aparência? Para a maioria das pessoas, a estética dos alimentos ainda é fator determinante para a escolha de um produto. O resultado disso? Segundo a ONU, cerca de 46% dos alimentos são descartados nas fases de processamento, distribuição e consumo. São produtos saborosos e nutritivos que são jogados fora simplesmente por não apresentarem boa aparência. Na contramão desse pensamento, a engenheira ambiental portuguesa Isabel Soares resolveu contribuir de forma direta para evitar o desperdício das frutas feias: “Estava assistindo a um documentário sobre desperdício alimentar e percebi que uma das causas do desperdício é a exigência estética por parte dos grandes distribuidores e supermercados. Isso resulta em um desperdício de 30% do que é produzido pelos agricultores na Europa. São frutas e legumes que…