Categoria

Decoração

Categoria

Tom Dixon, um designer britânico, anunciou o lançamento de sua coleção de móveis feitos em cortiça, um material natural, reciclável e biodegradável, ou o “material dos sonhos”, como disse o próprio designer. O mobiliário que compõe a coleção ganhou um ar mais rústico e uma aparência rochosa por meio da carbonização da cortiça. The Cork, ou A Cortiça, é o nome dado à coleção que, segundo Tom declarou ao site Deezen, foi inspirada por um lugar nostálgico, sua casa de infância que tinha pisos de cortiça. “É um isolante térmico e acústico, além de ser leve e facilitar o transporte. Quando se fala em ‘material dos sonhos’, não dá para ser melhor que isso.” Outro ponto positivo é que as peças são mais difíceis de sujar. A coleção é composta por uma estante, banco e três modelos de mesa. A matéria-prima vem de Portugal, em que a casca dos sobreiros…

Você acende a luminária ou aperta o interruptor e escuta um tic. Pronto, queimou a lâmpada. Chegou a hora da troca e descarte do produto, certo? Errado. Mesmo depois de perderem sua utilidade principal de iluminar os ambientes, as lâmpadas não precisam ser jogadas fora. Elas podem servir de suporte para plantas pequenas e enfeitar os espaços em arranjos personalizados. Então, lâmpadas queimadas na decoração é uma boa escolha. Veja algumas dicas: Os formatos diminutos dos bulbos de vidro são perfeitos para virarem minivasos. Quer dar ainda mais charme? Utilize fitas ou barbantes e os deixe suspensos. É possível, ainda, prendê-los com fio de anzol. Por ser praticamente transparente, vai garantir o foco apenas nas flores. Enfeites de mesa também podem surgir a partir de lâmpadas. Colorindo os bulbos com diferentes tonalidades, é possível criar um enfeite diferente e criativo. Há também a opção de transformar a lâmpada em uma…

Você sabia que o óleo de cozinha é um dos produtos domésticos mais danosos ao meio ambiente se descartado de maneira errada? Pois é… Só para se ter uma ideia do seu potencial poluente, alguns estudos sugerem que o despejo incorreto de um litro de óleo de cozinha pode contaminar até um milhão de litros de água. Ao atingir o solo, o óleo facilita a sua impermeabilização, fazendo com que ele não absorva tanto a água das chuvas e, consequentemente, as enchentes sejam mais frequentes. Os efeitos negativos também se estendem para a atmosfera, pois, quando o óleo de cozinha usado se decompõe, ocorre a emissão de metano, um gás que também causa o efeito estufa. Infelizmente, muitos ainda descartam o óleo usado no ralo da pia da cozinha, o que causa acúmulo de gordura no cano, gerando o entupimento dos encanamentos. Uma vez entupido, o processo para limpá-lo é…

A cidade de Amsterdã é mundialmente conhecida por duas peculiaridades: a excelente infraestrutura para os ciclistas e seus lindos canais. Com mais de 100 quilômetros de extensão, os canais de Amsterdã são o grande chamariz da cidade e atraem turistas do mundo todo. As águas que cruzam a cidade funcionam como avenidas e são apreciadas pelos visitantes que buscam conhecer a região de uma ponta à outra. Apesar de encantadores, os canais, como grande parte dos rios e mares, também sofrem com a poluição. Decidido a fazer a diferença neste cantinho do planeta, o holandês Marius Smit fundou a Plastic Whale, a primeira empresa profissional de pesca plástica do mundo. Inicialmente, a ideia de Smit era construir um barco a partir dos resíduos retirados dos canais de Amsterdã. Hoje, após sete anos da fundação – e muito lixo recolhido –, a empresa já possui uma frota de nove barcos feitos…

Buscando aumentar o bem-estar e a criatividade, espaço de coworking recorreu a 1.000 plantas para criar um ambiente refrescante e acolhedor Plantas são um curinga para quem quer dar um toque mais refrescante e acolhedor ao escritório. Elas ajudam a quebrar a monotonia do ambiente de trabalho e deixam o clima bem mais leve. Estudos científicos, inclusive, relacionam as plantinhas à melhoria do humor e ao aumento da criatividade. De olho nesses benefícios, um espaço de coworking localizado no vibrante Mercado da Ribeira, no coração da cidade de Lisboa, em Portugal, resolveu levar ao “extremo” o paisagismo. Nada menos do que 1.000 plantas se espalham por toda a sua área, alimentadas por um sofisticado esquema de hidroponia. Essa overdose de plantas resulta em um espaço hipnotizador e, ao mesmo tempo, absolutamente relaxante. Leia mais: Áreas verdes: refúgios que fazem bem à saúde O Second Home Lisboa (ou “Segunda Casa”, em tradução livre) quer que…

Que o papel é um material que pode e deve ser reciclado muita gente já sabe. Na prática, porém, não é bem isso que acontece… Todos os dias, toneladas de papel são descartadas de forma incorreta, no lixo comum, indo parar em aterros, mares e oceanos. Você, por exemplo, o que faz com os papéis das impressões que saíram erradamente? E com o jornal que você lê no domingo? Tem gente transformando isso em arte! Já mostramos a história da artista que, a partir de jornais velhos, cria esculturas de animais incrivelmente realistas e agora vamos apresentar o trabalho de Raya Sader Bujana, uma artista que mora em Barcelona e encontrou uma forma muito bacana de unir seu talento em paper art (arte com papel, em tradução livre) com sustentabilidade. Raya reaproveita este material e o transforma em lindas e miúdas esculturas de flores, folhas e cactos. E mais: cada…

Deitar em uma rede para descansar é uma delícia! Quando colocada em uma área externa ou em uma varanda, a rede torna-se ainda mais convidativa! Balançar e ter aquele ventinho batendo no rosto proporciona uma sensação muito gostosa. Já mostramos aqui no blog algumas dicas para você montar um cantinho verde em seu condomínio, e, provavelmente, ao adicionar a esse local uma rede, você o tornará ainda mais atrativo. Além de proporcionar excelentes momentos de descanso, a rede é usada para decorar os espaços. Ao ser colocada em ambientes cercados pelo verde, ainda proporciona contato direto com a natureza, intensificando a sensação de bem-estar. As redes podem ser produzidas com diferentes materiais, mas uma artista espanhola apresentou uma ideia muito inovadora: uma rede viva, produzida com uma planta que não utiliza solo! Ainhoa Garmendia é uma designer de produtos muito preocupada com questões ligadas à sustentabilidade, sobretudo com o problema…

“Olha a chuva! É mentira!” (risos). Os meses de junho e julho costumam ser aguardados ansiosamente por todos aqueles apaixonados pelos “arraiás”. Tem pescaria, comidas típicas, quadrilha, festa, música e muita animação! Mas, e a sustentabilidade? Como ela fica neste período de festas? É possível organizar um “arraiá” sustentável? É, sim senhor (risos)! 🙂 Tornar esta festiva época do ano um pouco mais sustentável é mais fácil do que você imagina! Por isso, se você está pensando em organizar uma festa junina no seu condomínio, fique atento às nossas dicas e prepare-se para colocá-las em prática. Com pequenas adaptações, é possível organizar um “arraiá” sustentável com seus amigos e vizinhos, mantendo a alegria e a essência dos festejos. Confira abaixo algumas dicas que separamos: 1) Brincadeiras: – Pescaria: Que tal pedir que os condôminos separem livros usados para que sejam colocados como brindes na pescaria? Além de promover a circulação…